Feeds RSS

Doe leite materno

Doe leite materno

Hora certa

Seguidores

Grata pela sua visita

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Semana do Austismo

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Juliana Paes participa de Campanha da amamentação


amamente uma criança


Campanha de 2011


amamente uma criança






Você sabia que estamos na Semana Mundial do Aleitamento Materno? E para continuar as comemorações desse importante evento, o Hospital e Maternidade São Luiz irá promover uma caminhada para incentivar a amamentação e o pessoal, da PubliVídeo, estará presente para registrar todo o acontecimento!
Todos sabem dos inúmeros benefícios do leite materno para o bebê, não é?! Nele estão contidos todos os nutrientes necessários para o crescimento saudável de seu filho e, por isso, é aconselhável amamentá-lo até os dois anos de idade.
Então venha participar dessa campanha também! Ela acontecerá no Parque do Povo (Avenida Henrique Chamma, 590), em São Paulo, neste sábado (06/08), a partir das 9h30. Todos os participantes receberão um kit contendo camiseta da campanha da Semana Mundial de Aleitamento Materno e uma garrafa de água mineral com o rótulo da campanha. Além disso, fisioterapeutas acompanharão o alongamento!


http://publivideo.com.br/blog/?cat=5

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Obrigado amada amiga Sandra pelo seu cartão carinhoso do meu aniversário.

amamente uma criança


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Atenção

amamente uma criança


Atenção amigos e irmãos em Cristo vigiem em sua comunidade, pois os usados pelo capeta estão agindo colocando a gente de boa índole em comunidade de baixo calão. Já fui vítima e acredite é constrangedor.
meus amigos! se receberem em meu nome algum recado para votar em fotos, ou algum cartão que diga: "é a tua cara", ou alguma coisa incompatível com minha personalidade, por favor deletem, não foi enviado por mim, portanto não abram. Os recadinhos para meus amigos são escolhidos com muito carinho e amor, e meu intuito é trazer alegria e amizade a todos que me são muito queridos.

quarta-feira, 27 de julho de 2011



amamente uma criança

A cidade de Santos possui, há quatro anos, um Banco de Leite Humano cujo objetivo é não só ter um local de processamento de leite, mas também um local de proteção, apoio e promoção do aleitamento materno. A assistência ao aleitamento já existe há trinta anos.

A idéia do banco surgiu há muitos anos, mas como na época a cidade era a número 1 em casos de Aids, a preocupação com a qualidade do leite doado era muito grande. “Não tínhamos condições de adquirir equipamentos que assegurassem a qualidade do leite distribuído”, diz a co-diretora do Centro de Lactação do hospital Guilherme Álvaro, Dra. Keiko Miyasaki Teruya. “Foi essa preocupação que fez com que demorássemos tanto para ter um Banco de leite em Santos”, continua.

Com o apoio do Ministério da Saúde, da Fundação Lusíada e do Hospital Guilherme Álvaro, o Banco de Leite possui um aparelho pasteurizador, e o setor de análises físico-química e microbiológica. Após passar por essas etapas o leite é, então, liberado para distribuição. Embora Peruíbe tenha sido a primeira cidade da Baixada Santista a possuir um Banco de Leite, o de Santos pretende ser o centro de referência da região.

Doação - Não é qualquer mãe que pode ser doadora de leite materno. Ela precisa ser saudável, ter todos os exames feitos no pré-natal normais e precisa estar amamentando seu filho. Somente o leite excedente poderá ser doado. “A gente não quer tirar o leite de ninguém, porque a primeira função de uma mãe é alimentar o seu filho”, diz a doutora Keiko.

A mãe doadora deve comparecer ao Banco de Leite, na primeira vez, para aprender as técnicas da ordenha. Para a retirada no local, a mãe precisa vestir-se com um jaleco, usar uma máscara, ter as unhas cortadas e limpas e passar por um processo de higienização. Depois de treinada ela recebe os frascos de coleta gratuitamente e poderá continuar fazendo a ordenha em casa. O leite coletado é armazenado no congelador por até 15 dias e depois levado ao Banco onde passará por toda a etapa de análise e pasteurização antes de ser doado.

Ayla Pimentel Vieira, de 30 anos é mãe de gêmeos. Seus filhos nasceram prematuros e estão na UTI neonatal. Ela foi até o Banco de Leite para aprender a técnica da ordenha. Sua preocupação é estimular a produção de leite, já que os bebês ainda não podem mamar, para que mais tarde ela possa ter a quantidade suficiente para eles. “Não estou tendo sucção e produzo pouco leite. A partir do momento que eu puder amamentar vou doar o excedente. O sentimento de poder doar é fabuloso você se sente útil, fazendo um bem para a humanidade”, diz satisfeita.

Para a médica pediatra e plantonista da UTI neonatal do Hospital Guilherme Álvaro, Roberta M. Greghi o leite materno vindo dos bancos de leite são para crianças em estado grave. “Com o leite elas se recuperam mais rápido, a digestão é mais rápida e ela desenvolve mais imunidade”, afirma. “Como tem mães que não podem amamentar seu filho ou não tem o suficiente, a importância do Banco de Leite é fundamental”, conclui ela.

A história - Por causa do trabalho de aleitamento materno que já vinha sendo feito há mais de 30 anos, a OMS — Organização Mundial de Saúde — reconheceu a cidade de Santos como um local próprio para ser um centro de referência - nacional e internacional (em países de língua portuguesa) — de treinamento em amamentação. O trabalho recebeu um prêmio de 50 mil dólares e a equipe foi escolhida para receber treinamento em um programa de aleitamento materno nos Estados Unidos. Daí em diante passou a ser um centro de referência no assunto.

"Somos reconhecidos pelo Ministério da Saúde, OMS e Unicef. No centro já treinamos praticamente pessoas do Brasil inteiro e mais da Guatemala, Congo, Cabo Verde e Angola e elas se tornaram multiplicadores em seu local de origem. Já temos mais de oito mil multiplicadores no Brasil e no mundo”, acrescenta Keiko.

O Banco de Leite de Santos funciona no Hospital Guilherme Álvaro e logo terá um portal no site do Ministério da Saúde.
Para maiores esclarecimentos, o telefone é (13) 3202-1323.

Leite materno: a primeira alimentação


amamente uma criança





Principal alimento do bebê quando nasce, o leite materno deve ser exclusivo até os 6 meses de idade, desde que o nenê esteja crescendo e se desenvolvendo dentro do padrão esperado. Acontece que muitas mamães voltam a trabalhar depois do período da licença-maternidade, que ocorre por volta dos 4 meses de idade do bebê.

Neste caso, o desmame pode acontecer anterior aos 6 meses, podendo se tornar extremamente prejudicial ao filho. A partir dos seis primeiros meses de vida, a alimentação do bebê começa a passar de líquida para sólida, aumentando o leque de sabores.

É importante ressaltar também que, a partir dos 6 meses, existe a necessidade de outros nutrientes que não são encontrados no leite materno. Esse período coincide com o amadurecimento do estômago e intestino, já prontos para receber outro tipo de alimentação, evitando qualquer tipo de distúrbios alimentares e reações alérgicas.

Sendo assim, nesta idade o bebê já coordena os músculos necessários para mastigar e engolir um alimento de consistência diferente ao do leite materno. Qualquer bebê reconhece os quatro sabores básicos: doce, amargo, salgado e ácido.

Doces

Logicamente, os bebês têm preferência pelo sabor doce, sabor do leite materno. Por esse motivo, os primeiros sucos e papinhas devem ter um sabor preferencialmente doce para a criança se adaptar mais facilmente à nova alimentação.

A nutricionista Adriana Danelon indica o suco de frutas como o começo da nova alimentação. “O suco pode ser dado ao nenê após a primeira mamada e depois da mamada do almoço”, informa a profissional.

Outra dica da nutricionista é oferecer à criança frutas e hortaliças para serem experimentadas uma a uma, para que ela se habitue a novos sabores. Após a apresentação individual das frutas, misture os ingredientes. Não é necessário adoçar o suco, o açúcar poderá ser prejudicial na hora da aceitação da papa salgada e nos hábitos alimentares saudáveis da criança.

Após a introdução do suco, a papinha de fruta (amassada ou raspada) pode ser incluída no cardápio como o lanche da tarde. Essa papinha favorece o trabalho intestinal.

Salgados

A refeição salgada é oferecida no almoço quando a criança estiver habituada com os sabores doces, mais ou menos um mês após a papa de frutas. O tempero deve ser leve (óleo, sal e cebola).

Assim como com as frutas, os legumes também deverão ser introduzidos um a um. “Fica mais fácil identificar alguma intolerância ou alergia”, completa Adriana Danelon.

Começando com legumes mais doces como mandioquinha, cenoura e beterraba, a aceitação da papa salgada poderá ser mais rápida. Evite incluir a clara de ovo na refeição antes dos 10 meses de vida da criança, pois esse componente pode trazer risco de alergia.

Evite liquidificador

Os ingredientes devem ser cozidos e amassados no garfo ou passados na peneira para que a mastigação seja treinada e os músculos faciais sejam trabalhados, de forma que não ocorram problemas de fala futuramente.
A partir do nono mês, pedaços de legumes e carnes já podem ser oferecidos. Peixes também já podem ser incluídos no cardápio. A alimentação fica cada vez mais sólida. Finalizado o primeiro ano de vida, a criança conhece todos os grupos alimentares com seus gostos e sabores.

FONTE:
http://guiadobebe.uol.com.br/leite-materno-a-primeira-alimentacao

Bruno Rodrigues

AMO MEUS AMIGOS (AS)

amamente uma criança







Bom diaaaaaaaaa a todas as minhas amigas

domingo, 24 de julho de 2011

MAIS UMA VEZ O GOOGLE PISA NA BOLA!!!

amamente uma criança



LAMENTAVELMENTE OS MEUS BLOGS TINHA DESAPARECIDO FUI LÁ RECLAMAR .
E GRAÇAS A DEUS E COM MUITA ORAÇÃO.
HOJE O GOOGLE ME DEVOLVEU OS MEUS BLOGS.
MAS AGORA NEM CONFIO NESSE TAL GOOGLE IREI COPIAR TODOS OS MEUS BLOGS IREI SALVAR ATÉ NOS MEUS E-MAILS.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Ameiiiiiiiiiiiiiiii Selinho da Sônia Silva

amamente uma criança



Estou emocionada!!!!

SEJAM BEM VINDOS



Obrigada amiga por você sempre lembrar de mim e da minha turminha
amamos você.

http://cantinhodoaconchego.blogspot.com

sexta-feira, 20 de agosto de 2010


http://lh6.ggpht.com/_3dmDdsOy2jk/TF1yQ2nhO3I/AAAAAAAAHMM/jXyZmYAeCrQ/s800.gifsdatatiferreira-teamo_pullip.gif

domingo, 8 de agosto de 2010

Feliz dia dos Pais

amamente uma criança




Aniversario

sábado, 7 de agosto de 2010

Hospitais intensificam campanha para doações de leite materno





Por: Aurelio Carvalho

O banco de leite da Maternidade Marly Sarney, na Cohab, e do Hospital Materno Infantil, no Centro, está precisando de doadoras de leite materno para suprir as necessidades de estoque. A campanha “Doe leite materno” começou em janeiro deste ano, mas ainda não atingiu os resultados satisfatórios.

Segundo a enfermeira Miltra Rosa, do Hospital Materno Infantil, o ideal seria que cada banco de leite tivesse, no mínimo, 40 doadoras cadastradas. “Hoje vieram 10 mães nos procurar, mas nem todas tinham leite suficiente para doar. A campanha melhorou nosso estoque, mas ainda não atingimos nosso objetivo”, disse a enfermeira.

Na Maternidade Marly Sarney o banco de leite não está conseguindo fazer estoque. De acordo com Iranildes Rodrigues Costa, coordenadora do banco, mesmo com a campanha, o hospital está conseguindo enviar apenas dois litros de leite por dia para a UTI Neo-Natal. “O ideal seria que mandássemos cerca de cinco litros por dia, mas ainda não atingimos nossa meta. Muitas mães que estão tendo filho pela primeira vez não sabem que podem e devem doar. Basta que tenham quantidade de leite em excesso e sejam saudáveis”, explicou Iranildes Costa.

Hoje, o banco de leite do Materno Infantil possui 29 doadoras cadastradas. O número, apesar de ter crescido em decorrência da campanha iniciada em janeiro, ainda é pequeno para a necessidade do hospital.

Ivanice Pires Silva está com um bebê de 23 dias na UTI e teve sorte de conseguir o leite para seu filho, que nasceu com 1,85kg e agora já pesa 1kg. “Ele toma 15ml de leite a cada duas horas. Agradeço às doações e peço que as mães se sensibilizem e participem dessa maravilhosa campanha”, disse Ivanilce.

Para incentivar ainda mais as doações, o banco de leite da Maternidade Marly Sarney atende em domicílio. Para isso, basta que a mãe doadora ligue para o telefone 3213-2333 e solicite a equipe em sua residência. “A partir daí nós vamos até a casa da pessoa, fazemos o cadastrado, passamos as orientações de como a mãe deve recolher o leite, deixamos o material esterilizado e passamos uma vez por semana para pegar o leite doado”, explicou Irenildes Costa.

Links Patrocinados




Fontes:




http://www.jornalpequeno.com.br/2006/2/10/Pagina28556.htm

Campanha pretende aumentar doação de leite materno.

Agência Brasil*

- Cerca de 71 mil litros de leite materno foram doados, no ano passado, beneficiando mais de 100 mil bebês.
Ao todo, 65,7 mil mulheres foram doadoras durante o período de amamentação de seus filhos. Com a campanha nacional lançada nesta quarta-feira, o Ministério da Saúde pretende ampliar esses números.

A maior parte do leite doado é destinada aos bebês prematuros e aos que estão internados. A coordenadora da Saúde da Criança do Ministério, Aléxia Ferreira, disse que a quantidade não é suficiente para atender a essas crianças no período pós-hospitalar e aos bebês de mulheres com doenças infecciosas, como a aids.

"É importante que, todo o tempo, nós tenhamos novas mulheres conscientes e dispostas a doar leite humano porque o período de lactação é bastante curto na vida da mulher", explicou Aléxia Ferreira.

No lançamento da campanha, o ministério homenageou a mulher que doou a maior quantidade de leite. Moradora do Distrito Federal, Sara Pontes doou 297 litros de leite quando estava amamentando seu segundo filho. A quantidade é suficiente para alimentar 3,7 mil recém-nascidos num só dia. Para isso, ela gastava apenas três horas por dia. "Eu fiquei surpresa porque eu nem sabia quanto leite eu doei", contou Sara.

Mãe de um bebê de quatro meses, Maria Ivonete Duarte disse que tomou a iniciativa de doar apenas depois que teve seu segundo filho. "Achei necessário. Tem tanta criança passando necessidade por falta de leite materno", disse.

De acordo com Aléxia Ferreira, o ministério também pretende ampliar a rede nacional de bancos de leite humano. Hoje, são 180 bancos públicos, vinculados à Fundação Oswaldo Cruz, e cerca de 15 privados. Até o final do ano, o ministério deve inaugurar dez novos bancos e, em 2005, outros dez.

* Agência Brasil/Por Cecília Jorge

Veja as noticias:

Campanha pretende aumentar doação de leite materno

Brasil tem maior e mais complexa rede de bancos de leite do mundo

Como é feito o controle de qualidade dos bancos de leite maternos no Brasil

A importância do aleitamento materno

Mesmo com maior banco de leite materno do mundo, Brasil ainda carece de doadoras

Entenda como é feita a coleta e armazenagem de leite humano no Brasil

Venezuela adota técnica dos bancos de leite brasileiros




segunda-feira, 26 de julho de 2010

Posto de Coleta de leite

Amamente uma criança



Santa Casa deSantos/SP instala Posto de Coleta.
Ficou mais fácil para as mães que tiverem seus bebês na Santa Casa de Votuporanga doar leite materno

Ficou mais fácil para as mães que tiverem seus bebês na Santa Casa de Votuporanga doar leite materno. Desde o final de dezembro entrou em funcionamento o Posto de Coleta de Leite Humano vinculado ao Banco de Leite da Secretaria Municipal da Saúde. O posto foi criado como um incentivo a mais ao aleitamento materno e para suprir a necessidade de leite humano da UTI Neonatal, considerando que com a implantação desse serviço na Santa Casa houve um aumento na demanda do Banco de Leite Municipal.
A diretora de enfermagem da Santa Casa, Vera Ito, comenta que esse é mais um passo importante que a maternidade e a pediatria deram em relação à humanização do atendimento aos pacientes. “Nossa maternidade segue o modelo do alojamento conjunto mãe/bebê o que possibilita o acompanhamento e o incentivo à amamentação. Nossos profissionais de enfermagem foram treinados para explicar às mães todo o procedimento que envolve a doação. Acreditamos que o posto venha contribuir com o Banco de Leite do município”.
O leite coletado na Santa Casa é enviado ao Banco de Leite que faz o processamento, qualifica e distribui o produto.
A enfermeira responsável pelo Banco de Leite, Maria Alice Guimarães Riva, fala da importância do novo posto considerando a necessidade da UTI neonatal. A quantidade de leite entregue para a unidade varia de acordo com o número de prematuros atendidos. “A média em 2008 ficou em torno de 40 litros mês, com um déficit de 8 litros mensais, é por isso que precisamos aumentar as doações. O leite materno funciona como um medicamento para o prematuro que depende dele para sobreviver”, ressalta a enfermeira.
Marcelo Henrique nasceu com 34 semanas e ficou internado na UTI Neonatal por quatro dias. Durante o período em que ele esteve na unidade foi alimentado com leite humano. Graças a essa alimentação o bebê recebeu alta e já está ao lado de sua mãe Renata Alves de Paula. “Hoje reconheço a importância do leite materno para os bebês que precisam da UTI neonatal, por isso peço a todas as mães que amamentam para que doem o seu leite”.
A Santa Casa pede a colaboração da comunidade para que faça a doação de frascos de vidro com tampa de plástico para armazenar o leite. É importante ressaltar que tanto a coleta como a pré-armazenagem do produto no posto de coleta seguem padrões técnicos qualidade. Os frascos podem ser entregues na caixa coletora que está instalada na recepção da Santa Casa.

E-Mail Responsável:

Comentários

Está matéria ainda não foi comentada. Seja o primeiro a comentar.

Fonte:

http://www.diariodevotuporanga.com.br/mm/index.php?_path=noticias_det&id=552







Princesas-Barbie.com :: plakinhas, gifs, imagens cute :: para pattys e princesas

Não é bom sofrer













Pra que sofrer se nada é eterno?
Vá lá e viva!
Sorria, dance, cante, pule, chore, brigue, grite, se arrependa, se culpe...
Faça o que quiser fazer.
Afinal, você é livre!
A vida é uma só.
Não espere que os sonhos se aproximem, vá atrás deles.
E se tudo der errado, recomece!

Apenas seja felizes isso você encontra com CRISTO.










Poemas que estimo e divulgoos nomes

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes mas, não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."

Fernando Pessoa

Homenagem a minha amiga : Lu Abate


Amamente uma criança







Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.
É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam,nas pessoas que escutam mais do que falam,e quando falam, passam longe da fofoca, das maldades ampliadas no boca a boca. É possível detectá-las nas pessoas que não usam um tom superior de voz,nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É possível detectá-la em pessoas pontuais.
Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem cumpre o que promete. É elegante não ficar espaçoso demais.É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao de outro.
É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.
É elegante retribuir carinho e solidariedade,è elegante não dizer palavrões.
Sobre nome, jóias, e nariz empinado não substituem a elegância do gesto. Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante.
Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural através da observação,mas tentar imitá-la é improdutivo.
Educação enferruja por falta de uso.


Amei esse poema da minha amiga: Luciana

uma carinhosa ser humana que tanto tenho xodozisse....


amiga te amo em Cristo

Mariza Maravilha

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Netinhos do meu coração, ele sobreviveu com 6 meses de nascido Deus seja louvado.

amamente uma criança




sexta-feira, 7 de maio de 2010

Assine vc. também!

Cuidado com sua crianças perto e dentro da piscina


Petição Por uma Lei Federal para a Segurança nas Piscinas. Pfvr. Clica e assina. OBRIGADA.


Minha homenagem a essa mãe !

mãe sofre tantas tragédias e essa
é uma das mais triste no meio de tantas...

http://flaviavivendoemcoma.blogspot.com


Não deixe de assinar.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

> * A semana que passou foi a Campanha, mais o ano inteiro continua, iremos continuar....


amamente uma criança

A semana mundial da amamentação visa incentivar o Aleitamento materno exclusivo. Isto significa alimentar o bebê SOMENTE com leite do peito nos primeiros 6 meses de vida. Isso significa que não se deve dar nenhum outro alimento sólido ou líquido, como água, sumos, chá de raízes tradicionais e nem papas, por que:

• O leite do peito é o melhor alimento para a criança até os 6 meses de idade.
• O leite do peito é o melhor alimento porque contém tudo o que a criança necessita para crescer e se desenvolver.

VANTAGENS DO ALEITAMENTO MATERNO PARA O BEBÊ:

• O colostro é o leite que sai nos primeiros dias e tem uma cor amarelada. Este leite é muito bom porque protege o bebê contra as infecções;
• O leite materno não tem horário, quanto mais o bebê mamar, mais leite a mãe produzirá;
• O leite materno é higiênico, protege a criança contra as infecções;
• O leite materno transmite calor, amor, afeto, e segurança ao bebê;
• A amamentação exclusiva durante os primeiros seis meses de vida é importante para a sobrevivência, crescimento e desenvolvimento da criança.

VANTAGENS DO ALEITAMENTO PARA A MÃE:

• O leite materno não custa dinheiro, não gasta água nem combustível para a sua preparação;
• Quando iniciado logo após o parto, estimula a contração do útero, reduzindo a perda de sangue e o risco de hemorragia;
• Promove a infertilidade, significa que neste período a mãe não engravida por causa do efeito hormonal da amamentação;
• Reduz o risco de cancro no ovário e na mama e ajuda a prevenir a osteoporose;

COMO FAZER ALEITAMENTO MATERNO?

• Inicie a amamentação dentro da 1ª hora logo após o nascimento da criança;
• Amamente a sua criança SOMENTE com leite do peito durante os primeiros 6 meses de vida, e introduzindo gradualmente outros alimentos a partir dos 6 meses e continuando com o aleitamento materno até os dois anos ou mais.
• Amamente a sua criança TODAS as vezes que quiser, de dia ou de noite;
• Deixe a criança mamar todo o tempo que ela quiser;
• Continue a amamentar mesmo que a criança esteja doente;

ALIMENTAÇÃO DA MULHER GRÁVIDA E LACTANTE

• Durante a gravidez e pós-parto, é necessário aumentar as refeições em quantidade e qualidade, pois a energia, as proteínas e outros nutrientes presentes no leite materno provêm da dieta da mãe ou das suas próprias reservas corporais.

Pesquisado pela Voluntária Online Sônia Celeni Hall.
Disponível em http://www.misau.gov.mz


sexta-feira, 7 de agosto de 2009

*** banco de leite ***

amamente uma criança-




http://wm.globo.com/webmedia/windows.asx?usuario=tribunainstwm&tipo=ondemand&path=/jt1/0708seriealeitamento.wmv&ext.asx=

domingo, 2 de agosto de 2009

Atenção é importante amamentar olha os setes riscos que serão evitados.

amamente uma criança


1) Evita bebês desnutridos ou obesos

O leite materno é um alimento completo, com a quantidade certa de proteína, gordura, vitaminas e água. Substituí-lo por outro produto pode fazer com que alguns dos componentes necessários ao bebê cheguem em excesso ou falta, o que prejudica sua saúde e interfere no seu peso, para mais ou menos.

A pediatra Graciete Oliveira Vieira, presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), faz questão de ressaltar que o leite materno deve ser o único alimento até os seis meses. Nem pense em dar ao menos água ou chá. Depois desse período, é o momento de começar a introdução de papas de legumes e frutas, sempre mantendo o aleitamento. O ideal é que receba o líquido materno até completar 2 anos ou até mais.

2) Protege o bebê de doenças
O leite materno funciona como uma verdadeira vacina, já que protege a criança de doenças, principalmente nos primeiros seis meses, quando sua resistência é menor. A pediatra Graciete lembra que, além de diminuir as chances de alergias, pneumonia, diarreia e infecções, traz benefícios que se estendem pela vida toda do filho, como menores riscos de obesidade, aumento de colesterol e desenvolvimento de linfoma (um tipo de câncer).

3) Aumenta o vínculo entre mãe e filho
Amamentar influencia no vínculo que existe entre mãe e filho. Além do fato de ficarem bem juntinhos, alguns hormônios são liberados durante o ato, principalmente a ocitocina, e fortalecem a ligação, como destaca a presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP.

4) A mãe se recupera mais rápido após o parto
Depois do parto, uma das preocupações das novas mamães é com a volta à forma. E até nisso a amamentação colabora. Se a mulher alimenta o filho exclusivamente com seu leite, tende a recuperar o peso anterior ao da gravidez na metade do tempo (em dois a três meses) em comparação a quem investe na mamadeira (seis meses ou mais).

"É claro que existem outros fatores. Por exemplo, caso tenha engordado na gestação mais do que o esperado, vai ser difícil voltar em até três meses. Mesmo assim, obtém o resultado mais rápido do que quem não amamenta", diz o ginecologista e obstetra Corintio Mariani Neto, presidente da Comissão Nacional de Aleitamento da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

O médico garante que oferecer o seio ao bebê ajuda o útero a se contrair melhor, o que garante menos perda de sangue e, portanto, caem as chances de anemia.

5) Amamentar é um anticoncepcional natural
Grande parte da lista de métodos contraceptivos é de responsabilidade das mulheres e isso não costuma agradá-las. Quem nunca reclamou ou ouviu queixas das que usam as pílulas hormonais, por exemplo? O que muita gente não sabe é que o simples ato de amamentar, sem dar outro tipo de líquido ou alimento aos pequenos, previne a gravidez nos primeiros seis meses (até quando a alimentação deve-se basear apenas no leite materno), com taxa de falha menor de 2%, informa Neto. É que os hormônios envolvidos na produção de leite bloqueiam a ovulação.

Mas atenção: dar água ou chá entre as mamadas interfere no processo. O que estimula a produção do leite é a sucção do bebê, e os intervalos maiores entre as mamadas reduzem o processo, interferindo nos hormônios que impedem a ovulação. "Na prática, é difícil que amamentem exatamente como deveriam. Portanto, depois de seis semanas do parto, os médicos costumam pedir que associem um método a mais. Se a opção for anticoncepcional hormonal, tem de usar um apenas com progesterona, porque o estrógeno diminui a quantidade de leite", fala o presidente da Comissão Nacional de Aleitamento da Febrasgo. Vale lembrar que a maioria das pílulas conta com estrógeno e progesterona.

6) Diminui risco de alguns cânceres nas mães
O chefe da mastologia do Instituto Nacional de Câncer, Pedro Aurélio Ormonde de Castro, disse que a amamentação, por definição, é um fator de proteção contra o câncer de mama, mas não existem dados numéricos nem se trata de uma 'imunização' contra a doença, uma vez que mulheres com filhos e que amamentaram podem ter a doença. O que a ciência recomenda é a gravidez em idade jovem, antes dos 30 anos, seguida da amamentação, para, com isso, promover o amadurecimento das células mamárias e, assim, prevenir a doença.

Algumas pesquisas, porém, apontam que amamentar por 12 meses pode reduzir em quase 5% os riscos de desenvolver câncer de mama. Um dos estudos foi feito pela World Cancer Research Fund, uma organização inglesa de pesquisa sobre a doença, e divulgado no ano passado.O ginecologista e obstetra Neto ratifica os números. "Em cada mãe que amamenta da maneira adequada, diminui em pelo menos 5% a chance de ter câncer." Quanto mais a mãe prolongar o hábito, maior é a proteção.

Esse benefício está relacionado às taxas do hormônio feminino estrógeno, que caem durante o período de aleitamento. Toda mulher o produz, mas existe uma atuação importante dele no desencadeamento da doença nas pessoas com fatores de risco.

7) Pode reduzir risco de doenças cardiovasculares nas mães
As mães que não abrem mão de amamentar os filhos diminuem também as possibilidades de desenvolver hipertensão, diabetes, hiperlipidemia (aumento da concentração de gordura no sangue) e outras doenças cardiovasculares após a menopausa, segundo uma pesquisa divulgada neste ano na publicação Obstetrics & Gynecology.

De acordo com o site Medpage Today, a médica Eleanor Bimla Schwarz, da Universidade de Pittsburgo, nos Estados Unidos, e seus colegas concluíram que mulheres que amamentaram por pelo menos um ano têm 9% menos chance de apresentar as doenças listadas em relação às que estenderam o hábito por períodos menores. Os pesquisadores disseram não saber a base dos mecanismos de diminuição da possibilidade de problemas cardiovasculares, mas estudos anteriores mostraram que amamentar melhora a tolerância à glicose e o metabolismo de gordura, e ainda diminui os níveis da proteína C-reativa (taxas elevadas estão associadas a ataques cardíacos e derrames cerebrais).

Foram analisadas 139.681 mulheres, com idades entre 50 e 79 anos e que deram à luz pelo menos uma vez. Os autores admitem algumas limitações da pesquisa, como o uso de dados relatados pelas próprias pessoas verificadas.


Fonte no Terra - Vida e Saúde




» Confira sete benefícios que a amamentação traz

Amamente uma Criança



1) Os seios não precisam ser preparados para a amamentação durante a gravidez, de acordo com ginecologista Neto. Portanto, risque da lista de cuidados a exposição ao sol e a esfoliação. O médico esclarece que as fissuras aparecem por conta de erros na hora de dar o leite ao filho e não porque a pele da região é fina. Quando o problema surge, os melhores remédios para cicatrização são o próprio leite e banhos de sol (antes das 10h e depois das 16h).

2) Não há um número de mamadas ideais. O bebê deve ser alimentado sempre que necessitar. Vale lembrar que tem de ingerir exclusivamente leite materno até os seis meses. Depois disso, comece a introduzir papas de legumes e frutas, mas sem eliminar o aleitamento até completar dois anos ou mais.

3) Na hora de amamentar, a boca do pequeno tem de estar bem aberta para abocanhar o mamilo e boa parte da aréola, o queixo precisa tocar a mama e o seu corpo deve estar virado para o da mãe.

4) Nem pense em estipular quanto tempo o bebê vai mamar em cada seio, porque a atitude pode prejudicar sua alimentação. A criança tem de sugar até acabar o leite daquele lado e, se ainda estiver com fome, passar para o outro. Isso porque o líquido do fim, chamado de posterior, tem mais gordura e sacia melhor a fome. O ginecologista e obstetra Neto lembra que muitas mulheres reclamam de ter leite fraco, mas a queixa normalmente se refere a esse erro comum. "Não existe leite fraco. Cada mulher tem o leite adequado para o seu filho."

5) E como saber se o filho sugou o suficiente durante a mamada? A pediatra Graciete informa que ele costuma se acalmar e, às vezes, termina a amamentação já dormindo. Caso continue com fome, é bem provável que escute um choro daqueles.

6) Após o aleitamento, Graciete recomenda levantar o bebê. Não é obrigatório que arrote, pois isso só acontece se engolir excesso de ar. Fique com ele nos braços de 20 a 30 minutos e deite-o no berço de barriga para cima, posição que previne a síndrome da morte súbita.

7) No período em que a mulher estiver amamentando, a sua dieta deve ser balanceada, assim como em qualquer momento da vida. No entanto, segundo o médico Neto, ingerir alguns alimentos em excesso, como chocolate e amendoim, pode causar algum tipo de reação alérgica na criança. O profissional recomenda beber água sempre que tiver sede, mas não pense que exagerar no líquido vai fazer com que a produção de leite aumente. Aliás, faz questão de dizer que a ligação entre consumir cerveja tipo malzbier e aumento na quantidade do produto materno não passa de mito. "A mulher não deve ingerir álcool porque passa pelo leite para a criança. Isso pode deixá-la sonolenta, com menos vontade de comer e irritada, além de interferir no seu crescimento", diz Graciete.

8) Os médicos alertam que o uso de bicos artificiais, seja os de mamadeira ou de chupeta, atrapalham a amamentação. É que a forma de sugá-los é diferente da necessária para retirar leite do seio. Como resultado, a criança acaba não se alimentando direito durante o aleitamento materno.

9) Algumas mães produzem mais leite do que a criança precisa. Nesse caso, é importante que retire o excesso para evitar ingurgitamento (excesso de leite), que pode levar a fissuras no bico e à mastite (inflamação geralmente infecciosa). Para perceber se tem o líquido em excesso, basta apalpar as mamas após o aleitamento. Se estiverem duras, é necessário extraí-lo. A recomendação de Neto é massagear todo o seio e, então, fazer a ordenha manual. O leite deve ser guardado em um recipiente de vidro e com tampa de plástico. Na geladeira, dura 24 horas. Se conservado no congelador, até 15 dias. Que tal fazer uma doação ao banco de leite?

10) Se a mãe tiver de se afastar da criança, como quando acaba a licença-maternidade, o ideal é que retire o leite. Faça a massagem, elimine as primeiras gotas e conserve o restante. Na hora de usá-lo, basta trazê-lo à temperatura ambiente por meio do banho-maria. Nunca o ferva, porque perde suas propriedades. Ofereça-o ao filho com o auxílio de um copo, xícara ou colher.

Fonte: Terra- Vida e saúde




> * Acima segue as 10 dicas, que as mães precisam saber sobre a amamentação


amamente uma criança




Já está mais do que comprovado que a amamentação é fundamental para os bebês e, ainda por cima, oferece benefícios até às mães.
No entanto, o ato traz muitas dúvidas às mulheres, como "meu leite é fraco?", "em que posição devo oferecer o seio?", "quanto tempo leva cada mamada?". Para elimina-las, confira dez dicas listadas pelo ginecologista e obstetra Corintio Mariani Neto, presidente da Comissão Nacional de Aleitamento da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), e a pediatra Graciete Oliveira Vieira, presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP):







Campanha de doações de leite materno: > * Confira os benefícios que a amamentação traz a mães e filhos

amamente uma criança

> * Confira os benefícios que a amamentação traz a mães e filhos




amamente uma criança





"Amamentar é um gesto de amor." Essa frase é repetida constantemente e, realmente, tem fundamento. A mãe que se dispõe a dar seu leite ao filho o presenteia com muitos benefícios e, em troca, recebe uma lista de outros. Na 18ª Semana Mundial da Amamentação, que começa neste sábado e vai até o dia 7 em mais de 120 países, descubra sete vantagens que o aleitamento garante às mulheres e aos bebês. Além suprir com os nutrientes necessários o bebê, amamentar ajuda o corpo a voltar ao normal, pode prevenir as chances de a mãe contrair alguns tipos de câncer e pode funcionar como anticoncepcional natural.

Pesquisado na fonte de :

http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI3902378-EI1497,00-Confira+os+beneficios+que+a+amamentacao+traz+a+maes+e+filhos.html

sexta-feira, 24 de julho de 2009

>* A MULTIMISTURA DA PASTORAL DA CRIANÇA...


scrapsmil.com gifs e frases






A MULTIMISTURA DA PASTORAL DA CRIANÇA.

A MULTIMISTURA OU NUTRIMISTURA É UM COMPOSTO DE FARELOS:
fubá, farelo de arroz, farelo de trigo, proteÍna de soja e gelatina natural (dependendo da região são adicionados ingredientes tipicos).
Além da questão da amamentação, tambem é usada para tirar crianças da desnutrição, promover o crescimento dentro e fora do útero, aumentar a resistência à infecções.
Os produtos quando chegam em casa (arroz, farinha de trigo), chegam refinados, todos nutrientes ficam nos farelos, comprovando que os farelos são ricos em vitaminas, proteínas, etc.
A Pastoral da Criança através de estudos com um grupo de nuticionistas, criou a MULTIMISTURA com baixo custo e eficácia.

Todas as mães tem leite, mas é importante lembrar:
Se a mãe usar a Multimistura na gravidez, o leite desce mais depressa.
A mãe não deve ter pressa se o leite demorar a chegar.
O bebê tem pouca fome quando nasce.
A calma é importante na amamentação.
O bebe não deve tomar chá ou água, o que precisa é SUGAR O PEITO PARA O LEITE DESCER (desenvolvendo tambem toda a musculura do maxilar, ter boa formação da dentição, não dormir de boca aberta).
A mãe precisa tomar bastante líquido (chá, água, leite, suco)
O leite da mãe NUNCA É FRACO, apesar de ser ralo. A cor e a quantidade podem mudar entre uma mamada e outra.

PARA AUMENTAR O LEITE:

Tomar uma colher de sopa da Multimistura com um copo de liquido uma hora ANTES DE CADA MAMADA.
No primeiro dia tomar 5 a 6 vezes; no segundo tomar 3 a 4 vezes; e do terceiro dia em diante usar 1 a 2 vezes.
Além disso usar o farelo em todas as refeições, 1 a 2 colheres de sopa por dia.

Existem também o PÓ DA CASCA DO OVO E O PÓ DA FOLHA DA MANDIOCA, são alternativas de alto valor nutritivo (veja uma tabela de valores nutritivos: a folha da mandioca tem mais vitaminas do que a raiz).

Assim o bebê, até os 6 meses, deve receber unicamente o leite materno, que é o unico alimento completo que existe.
Aliás o leite materno DAQUELA MÃE é um anticorpo exclusivo para aquela criança, naquela casa. Não existem dois iguais no mundo.
Depois de 6 meses o bebê e precisa de outros alimentos, mas deve continuar sempre que possivel, e não precisa de leite de vaca (que é pra bezerro) em pó ou de saquinho.